segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Ciclos


Estou aqui, parada. Deitada na minha cama (não pode ser mais uma novidade o fato de que estar deitada na minha cama me traz inspiração), como se o mundo tivesse dado uma pequena pausa na vida. O barulho lá fora me lembra que não. Sim, sou só eu que parei – ou pirei, sei lá. Embora pareça loucura, eu acho mais que necessário esse momento de parar, pensar, rever, chorar, focar. É muito “ar” dentro da gente, e isso ás vezes sufoca e o único jeito de continuar – é ao mesmo tempo a única estrada que a gente não quer passar -, é deixar ir.
Eu preciso deixar ir, eu vou deixar... Aaa, mas eu não consigo! Não consigo porque não quero, e é sempre assim. Eu fico presa aos momentos, de um jeito tão forte que mesmo mudando inteiramente a minha personalidade, eu ainda estaria presa aos mesmos. É tão difícil explicar. Quase impossível, diria. Mas é preciso.

Tá difícil respirar. Eu sei que essa é a fase que me levará a uma nova mudança. Sempre depois que passo por momentos em que é necessário desapegar de algo ou alguém, eu cresço.  Cresço e descubro um novo mundo que estava guardado para mim. É uma sensação maravilhosamente boa. É como mergulhar em um mar desconhecido e a água tão limpa dá a impressão de não haver problemas por ali. Mas eu trago comigo uma bagagem da vida, e não me deixo totalmente entregue ao poder daquelas águas cristalinas. Primeiro coloco os pés, sinto a temperatura e a cada passo mais fundo, sinto a água cobrir todo o meu corpo. Quando eu me acostumo com aquele imenso mar e a sua temperatura se torna surpreendentemente agradável, eu mergulho, de cabeça mesmo, e me sinto a melhor pessoa do mundo. Isso dura tempo o suficiente para que eu me apegue ao ponto de não querer mais ir embora. Eu tenho que ir, mas não quero. Será que a vida poderia, pelo menos uma vez, dar uma pausa no seu ciclo estúpido e interminável e me escutar um pouco?

Eu não quero ir. Não quero, de forma alguma. Isso está tão explicito quanto as lágrimas nos meus olhos. Eu estou me negando a ir, a seguir esse tal de ciclo, como uma criança birrenta. Mas não tem jeito. Eu estou sendo arrancada, levada para longe das pessoas que eu amo. Parece que todos os ventos tornaram-se contrários a nós. Será que ajuda de alguma forma dizer que eu não tenho medo?  Tenho saudades, é diferente.
A dor que eu sinto é do tamanho do mundo.
Eu não quero me render, mas percebo que não tem mais jeito. Que todo esforço que eu fizer será em vão. Resta-me aceitar. E aos poucos, vou deixando ir, e vou me deixando ser levada por novos ventos. À espera de uma nova etapa. Pode ser que dessa vez eu tenha sorte e que essa nova fase me traga um novo amor. Mas pode ser tantas outras coisas também. Tudo novo de novo... Não é isso que a vida quer? Então, que assim seja.



P.S.: Eu sei. Eu estou absolutamente ciente da minha ausência aqui no Confidence. Não vou ficar aqui colocando a culpa toda no tempo (mas ele é o verdadeiro culpado, gente, hahaha), pois há uma imensidão de coisas que eu deveria citar para justificar todo essa falta aqui. A vida anda meio complicada também, mas eu estou tentando conciliar. Tenho certeza que logo, logo eu estarei mais livre para me dedicar muito mais ao blog e a vocês, leitoras mais que queridas! <3


12 comentários:

  1. Que texto lindo, amei!

    http://devaneiosdeuma-adolescente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Lorely , arrasando , divando .. como sempre <3
    Amei , amei !
    http://sonhando-porai.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você sempre fofa, Sarinha *-*
      Obrigadaaaa!

      Excluir
  3. poxaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, que lindo, adooorei como sempre, ah voce sumiu mesmo ): mas ainda bem q aina ta com nós, ah é normal, eu tb sumo ):
    ps: post novo
    pedacosdelembrancas.blogspot.com.br/2013/09/grande-amor.html

    beijos, Kellen Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, de coração! Cada comentário aqui é uma grande motivação para nós.
      Vou visitar o teu blog agora mesmo :)

      Bjo :*

      Excluir
    2. querida, saudades de seus posts ):

      Excluir
    3. Ô Ke, é o tempo que me falta :(
      Vou tentar atualizar o blog ainda essa semana, hoje ou amanhã, ou possivelmente a Alice M. poderá fazer isso também. Obrigada, mais uma vez, por ser tão presente no nosso pequeno espaço <3

      Excluir
  4. Precisamos desse tempo dessa nova fase, mas étão dificil deixar se entregar provamos aos poucos a paz de cada dia.
    Lindo texto.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sempre traz comentário inspiradores, Juli!
      Grande beijo :)

      Excluir
  5. Muito lindo o texto!
    Adorei seu blog!
    bjaoooo

    http://apalavraeamor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Aline! Fico imensamente feliz em saber que gostou do blog!
      Volta sempre, tá? :*

      Excluir